albatroz - images, songes & poésies

albatroz - images, songes & poésies

jorge de sena, génesis

Génesis

De mim não falo mais : não quero nada.
De Deus não falo : não tem outro abrigo.
Não falarei também do mundo antigo,
pois nasce e morre em cada madrugada.

Nem de existir, que é a vida atraiçoada,
para sentir o tempo andar comigo;
nem de viver, que é liberdade errada,
e foge todo o Amor quando o persigo.

Por mais justiça ... — Ai quantos que eram novos
em vâo a esperaram porque nunca a viram!
E a eternidade... Ó transfusâo dos povos!

Não há verdade : O mundo não a esconde.
Tudo se vê : só se não sabe aonde.
Mortais ou imortais, todos mentiram.

Jorge de Sena

de Coroa da Terra (1946)



18/12/2006
0 Poster un commentaire

A découvrir aussi


Inscrivez-vous au blog

Soyez prévenu par email des prochaines mises à jour

Rejoignez les 830 autres membres